sábado, 21 de dezembro de 2013

VOTOS DE UM BOM NATAL E UM FELIZ ANO 2014





VOTOS DE BOAS FESTAS PARA TODOS OS CAMARADAS E AMIGOS



quinta-feira, 14 de novembro de 2013

A MISSÃO DULOMBI ESTA DE REGRESSO A GUINE/BISSAU

CAROS CAMARADAS E AMIGOS

O PESSOAL DA MISSÃO DULOMBI JÁ SE ENCONTRA NO TERRITÓRIO DA GUINE/BISSAU. UM BRAVO PARA ESTA GENTE QUE VÃO DISTRIBUIR ALEGRIA, PAZ, AMIZADE, AO POVO DE GALOMARO E DO DULOMBI. 

UM ABRACO PARA TODOS, EXTENSÍVEL PARA TODA AS TABANCAS DAQUELAS ZONAS.

Luis Dias

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

A SORTE TAMBÉM FAZ PARTE DA GUERRA



Reparem no que podia ter acontecido a este Marine (Fuzileiro-Infantaria de Marinha) norte-americano num ataque à sua base feito por guerrilheiros Taliban (Afeganistão). Os projécteis inimigos bateram ao lado da sua cabeça. A sorte esteve presente e também nestas coisas de guerra ela é necessária.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

REENCONTRAR UM CAMARADA MAIS DE 30 ANOS DEPOIS

Caros Camaradas e Amigos

Há já alguns anos que tentamos encontrar os camaradas da nossa companhia que ainda não participaram em nenhum dos nossos convívios. Um deles é o Ex-Furriel Atirador de Infantaria, António José Lourenço, um dos nossos "Piras", porque só chegou à nossa companhia em Junho de 1972, vindo em rendição individual. Este camarada esteve colocado no meu Grupo de Combate, mas também ia tapando "buracos" nos grupos de combate em que, por motivos de férias ou outro tipo de impedimentos, faltasse um furriel.Ao longo destes anos, recordo-me de o ter encontrado uma vez em Lisboa, mas muito tempo antes de dar-mos início aos nossos convívios, o que sucedeu aquando da comemoração dos 25 anos da nossa chegada a Lisboa. O Lourenço esteve em falta desde essas datas. Há poucos meses atrás, numa conversa quer com o Ex-Capitão, quer com o Ex-Furriel, Carvalho, lembrei que não sabíamos nada do nosso camarada Lourenço, que eu recordava ser uma pessoa calma, simples e de bom trato.

Na semana passada, estava num Restaurante/café aqui na minha rua, tendo na mesa ao lado um vizinho que comentava um crime sucedido de onde era natural, Alvaiázere. Dado que o Lourenço era originário dessa localidade, falei nisso ao meu vizinho que disse ser possível ser o actual Provedor da Santa Casa da Misericórdia. No dia seguinte confirmei ser a mesma pessoa, quando ele identificou a pessoa da foto como sendo o ToZé Lourenço.

É claro que tentei contactar a Sta. Casa e hoje consegui falar com o camarada que não via há, pelo menos, 30 anos. Trocámos breves palavras e dei-lhe notícia dos nossos convívios e do falecimento de diversos camaradas. Vamo-nos de certeza encontrar em 2014 no convívio que iremos realizar em Fátima. É sempre bom voltar a rever camaradas e especialmente camaradas/amigos.

Um abraço para o Lourenço.

Luís Dias
Do lado esquerdo o Ex-Furriel Lourenço e do lado direito o Ex-Alf. Dias, no meio e por azar do bicho uma espécie de gato selvagem. Foto tirada no Dulombi, em Outubro de 1972.

A MINHA GUERRA-1ª CAÇ DO BCAÇ4518/73


Caros Camaradas e amigos

Numa das revistas de Domingo do jornal Correio da Manhã, o Ex-Alferes, Joaquim Tinoco, da 1ª CCAÇ do BCAÇ4518/73, que nos foi render no Dulombi, em finais de Janeiro de 1974, resume a sua história militar, referindo que o pior período que passaram já foi depois do 25 de Abril.

Um abraço para ele e para todos os camaradas daquela companhia.

Luís Dias

segunda-feira, 27 de maio de 2013

14º CONVÍVIO DA CCAÇ 3491 -FOLGOZINHO-GOUVEIA




14º CONVÍVIO DA CCAÇ 3491

O encontro de combatentes da nossa companhia que se realizou em Folgozinho-Gouveia foi um êxito. Ao nosso pessoal associaram-se bastantes familiares e alguns amigos, juntando em alegre convívio cerca de 60 pessoas.

A reunião iniciou-se pelas 10H30 no agradável parque da Senhora dos Verdes, Cativelos-Gouveia, onde fomos criando apetite para o almoço com uns queijos, uns chouriços e afins, acompanhados de vinho da região branco e tinto. Em seguida, na capela do parque, procedeu-se à missa por alma dos camaradas falecidos.

Após a celebração dirigimo-nos em caravana para Folgozinho, restaurante “O Albertino”, um dos mais famosos da região, onde fomos recebidos por música ao vivo para criar ambiente tocada por um jovem acordeonista.

O “ataque” iniciou-se a umas estupendas entradas, onde se destacaram, entre outros, o leitão no forno, a feijoada de javali, uma cabidela de coelho, salada de polvo e de orelha, regados com vinhos da região, cerveja e outras bebidas (Self service). No serviço à mesa, seguiram-se os pratos quentes: sopa de legumes, bacalhau com broa e grelos, borrego assado no forno e vitelinha grelhada com arroz de legumes. Uma grande variedade de sobremesas esteve ao nosso alcance, em que se destacaram: o doce à Allbertino, o doce Grilo e o requeijão com doce de abóbora, bem como o café e habituais digestivos (estes para todos os gostos, até porque houve camaradas que fizeram questão de também trazer para o convívio umas aguardentes de sua lavra).  Após a abertura do bolo, com um brinde com espumante rosé, houve um momento alto com todos a cantarem a nossa famosa canção: “Dulombi te deixarei”.

O Convívio terminou pelas 18H30, após palavras de agradecimento do organizador – camarada José Carvalho Santos, Ex- sold. transmissões – e de breves palavras do camarada que irá organizar o evento do próximo ano – o Ex-1º cabo enfermeiro, Francisco Pires – o qual irá ter lugar em Fátima e ainda houve tempo para a entrega de diversas prendas, algumas vindas da autarquia de Gouveia, que se associou à festa, tendo estado presente um seu vereador.

O evento foi, efectivamente, bonito. O nosso ex-capitão, que não pode estar presente por se encontrar em Berlim, enviou uma mensagem para o organizador que a leu para todos nós. A surpresa do dia foi o surgimento do nosso “morto-vivo”, o Ex-Furriel Mário Castanheira, do 3º pelotão que, para regozijo de todos nós, está “bem vivo da costa” e pôde, ao fim destes anos todos, voltar a ver os camaradas da sua companhia (foi a 1ª vez que esteve presente num convívio da nossa CCAÇ e há vários anos que alguém, erradamente, nos informou e até foi publicado no nosso blogue, que ele havia falecido). Sê Benvindo!

Infelizmente foi-nos transmitida a notícia que o Ex-Furriel José Tavares Batista do 1º Grupo de Combate (que foi quem, praticamente, por mais tempo comandou o grupo, após o seu primeiro Alferes ter dado baixa ao hospital (Ernesto Ribeiro) e o substituto (Manuel Leite)ter ido para o Pel. Caç. Nat.53) e que nunca tínhamos conseguido contactar, faleceu há mais de 10 anos. Fomos também surpreendidos com a morte de um dos nossos alentejanos: o Ex-1º cabo António Costa, apontador de morteiro 81mm e o nosso cantineiro. O Costa nunca falhava um convívio e dizia que em cada ano ficava sempre ansioso até receber a carta de confirmação do encontro. A estes dois camaradas erguemos a nossa prece e o desejo de que descansem em paz.

Outra surpresa foi o ter aparecido o Ex-Sold. de trms do meu GC (2º), José Gonçalves, acompanhado da esposa, o qual não via desde o nosso regresso em Abril de 1974.

Um abraço muito especial para duas pessoas que nos honram imenso com a sua presença e eu, especialmente, muito considero, o Dr. Rui Coelho (médico do batalhão) e o Engº Mário Vasconcelos (responsável pelas transmissões do batalhão). O nosso médico é uma daquelas pessoas que transmite boa disposição a quem está à sua volta, pois traz sempre imensas histórias para partilhar connosco. O engenheiro Mário é, como todos sabemos, uma joia de pessoa e um vimaranense à maneira, com quem dá gosto conversar e conviver.

Também não posso esquecer a família Martins do nosso Ex-1º Cabo Avelino, o “Russo”, do 1º GC, pessoal de Matosinhos, que o acompanha para estas andanças e, para além de serem uma família muito unida, agregada em afectos, integraram-se muito bem no espírito que norteia os nossos encontros. Para eles o meu apreço e o desejo sincero de muita saúde e de muitas felicidades, pois bem merecem.

O camarada Manuel Pedro (o condutor da nossa Berliet) informou-nos que o Carlos Ferreira, o “Nunca Falha” (que é seu vizinho), tem apresentado algumas melhoras devido à doença que o atingiu, o que muito nos apraz. Para ele e para a sua família um abraço dos seus camaradas que sentem saudades da sua forma de estar e da sua alegria e lhe desejam rápidas melhoras.

O malandro do Norberto, o “Charlot”, continua a ser um dos convivas com mais capacidade de por a malta toda bem-disposta, conforme o fazia na Guiné, às vezes até demais (isto quando andávamos no mato e ele julgava que estava no largo da sua terra em amena cavaqueira), obrigando o furriel da sua secção a castigá-lo com fins-de-semana a cortar batatas.

Uma palavra para o José Carvalho que organizou muito bem o evento, recorrendo, inclusive, a um megafone para juntar as tropas. Até parecia que estava a dirigir uma manifestação.

E pronto, se Deus quiser para o ano há mais!

O Editor
Luís Dias

PS: Aguardamos a chegada das fotos de Grupo para posterior publicação.

“DULOMBI TE DEIXAREI!”
Dulombi te deixarei! Dulombi te deixarei!
Das emboscadas no mato, das emboscadas no mato e das minas da picada. (Bis)
No começo desta vida, no começo desta vida, tal e qual como ela é.
Disse adeus à minha terra, disse adeus à minha terra e parti para a Guiné. (Bis)
Quando cheguei a Bissau, quando cheguei a Bissau já tinha muito que contar.
Chorei lágrimas de dor, chorei lágrimas de dor e depois pus-me a rezar. (Bis)
Oh meu Deus vós dai-me sorte, oh meu Deus vós dai-me sorte, até ao fim desta guerra.
Para não sofrer como muitos, para não sofrer como muitos e voltar à minha terra. (Bis)
Dulombi te deixarei, Dulombi te deixarei, qual o dia é que eu não sei.
Mas eu agora vou lutar, mas eu agora vou lutar, honrar a Pátria também. (Bis)
Dulombi te deixarei, Dulombi te deixarei, que seja breve eu te peço.
As tuas bajudas giras vamos deixá-las aos piras e nós vamos de regresso. (Bis)
Dulombi te deixarei, Dulombi te deixarei, Dulombi das batucadas.
Das emboscadas no mato, das emboscadas no mato e das minas na picada. (Bis)
Ao terminar esta canção, ao terminar esta canção, dela jamais me esquecerei
Obrigado oh Virgem Mãe, obrigado oh Virgem Mãe. (Bis)
Eu aguardo o meu regresso!





 O encontro iniciou-se no Parque Senhora dos Verdes, em Cativelos (Gouveia), pelas 10H30 para um "mata bicho", à base de queijos e chouriços da região.
 Esq/Dta: O Ex-1º Cabo Enfº Franciso Pires, Dr. Rui Coelho, Engº Mário Vasconcelos e o Ex-sold.At.Norberto Fernandes, o "Charlot"
De frente: António Alves, o nosso "Professor" da escola dos Djubis do Dulombi (camisa ao quadrados) e a seu lado (polo azul claro) o Ex-1º Cabo Ap. Mort. 81mm, José Sousa
 De frente a dar ao dente o Ex-Alf. Manuel Parente
Esq/Dta: De camisa branca e a encher o copo o Ex-Fur. Espírito Santo do 2º GC, depois de mãos nos bolsos o Valente, apontador de morteiro 60mm e a seu lado, o José Silva, o "Grijó", ambos também do 2º GC
 Esq/Dta Valente, Grijó e Norberto
 Aspecto da capela

Capela da Nossa Senhora dos Verdes onde se deu a missa por alma dos camaradas já falecidos e que é de 1872
 O Ex-Alf. L. Dias e o Ex-Fur E. Santo, ambos graduados do 2º GC (Falta o Ex-Fur. Gonçalves, que vive em Otawa-Canadá).
Aspecto de parte das mesas no restaurante, estando de frente o Ex-Fur. Mário Castanheira e o Ex-1º Cabo Enfº Borges
 Valente com a esposa
Outra das mesas.
 De frente o Ex-Fur Manuel Rodrigues (o responsável pelas viaturas da companhia)
Ao fundo de camisa azul e calça creme o Ex-Fur Alfredo Carvalho, do 4º GC
O nosso "morto-vivo", o Ex-Fur Mário Castanheira 


 Ex-Alf. L. Dias e Ex-1º Cabo José Sousa
De frente e de bigode (camisa aos quadrados) o Ex-Sold Trms do 2º GC, José Gonçalves
Ex-Alf. M. Parente , cmdt do 4º GC e Esposa

Ex-Alf. L. Dias cmdt do 2º GC e 2º Cmdt da companhia

Outra das mesas, estando de frente o Ex-1º Cabo António Melro.
 Esq/Dta: Augusto Martins, a Esposa, o nosso Ex-1º Cabo Avelino Martins e o outro irmão e em 1º plano o Norberto.
 Do lado esq e na mesa da família do Avelino Martins estão o Manuel Pedro e antes a sua Esposa

Ao fundo da sala o organizador Carvalho dos Santos a discursar

Ex-Alf Parente, Eng Mário Vasconcelos e Dr. Rui Coelho
Outro aspecto da sala, estando de pé, de camisa e calças claras e de óculos, o "Amarante" do 2º GC, o primeiro elemento da companhia a ver um guerrilheiro inimigo a avançar direito a nós.
Um exemplar da caixa de "granadas" de tinto da região que foi oferecida a cada um dos elmentos participantes

sábado, 18 de maio de 2013

ESPERANÇA NO DULOMBI

Antigo combatente da CCAÇ 2700 (Fernando Ramos) não esquece as gentes da Tabanca do Dulombi. O seu filho, Gil Ramos é um dos magníficos impulsionadores da "Missão Dulombi".

segunda-feira, 13 de maio de 2013

UM ALMOÇO NA EXPO-LISBOA

Na semana passada estes 5 amigos da CCAÇ 3491, reuniram-se em confraternização para almoçar peixe na grelha num restaurante na zona da Expo, aproveitando o bom tempo que tem estado e também para olhar o nosso Tejo.
Esq./Dta. O nosso Ex-Capitão F. Pires e o Ex-Alf. Dias
Esq./Dta Os Ex-Fur Soares, Carvalho e Nogueira

segunda-feira, 29 de abril de 2013

O Chefe da Milícias de "DUAS FONTES/BANGACIA"

BACAR BALDÉ, o Chefe das Milícias de "Duas Fontes /Bangacia", a Tabanca Modelo da Zona de Galomaro, diversas vezes atacada pelo PAIGC.

Mais tarde, após a independência, Bacar Baldé tornar-se-ia o Régulo de Galomaro. O actual Régulo é o seu filho.

# Foto gentilmente cedida
 por Gil Ramos, um dos impulsionadores da "MISSÃO DULOMBI".


terça-feira, 16 de abril de 2013

14º CONVÍVIO DA CCAÇ 3491

Camaradas e Amigos

Recebemos uma mensagem relativa à alteração do contacto para confirmarem a inscrição para o nosso Convívio em Gouveia.

Assim, o contacto correcto é o seguinte nº de telefone: 238 496 925.

LD

 





 

quarta-feira, 3 de abril de 2013

segunda-feira, 11 de março de 2013

OPERAÇÃO ALMA FORTE



 Esq p/ Dta: Fur. Espírito Santo, Alf. L. Dias e Fur. J. Gonçalves (os graduados do 2º GC)



OPERAÇÃO "ALMA FORTE" CCAÇ 3491-DULOMBI-GUINÉ 71-74
11 de Março de 1972

FAZ HOJE 41 ANOS QUE A CCAÇ 3491 TEVE O SEU PRIMEIRO CONTACTO/EMBOSCADA COM O IN.

Em 11 de Março 72, no dia seguinte à saída da CCAÇ 2700, o 2º GC (Alf. Dias) e 3º GC (Alf. Farinha), reforçados por 1 Secção do Pel.Mil. 288, iniciaram a Operação "Alma Forte", com a duração de dois dias (Sábado e Domingo), com a finalidade de reconhecer e armadilhar os pontos de passagem do IN no Rio Corubalo. Nesse dia depois de invertermos a marcha, pelas 18h30, quando parámos para descansar junto ao Rio Lemenei/Paiai Lemenei (18/20 km do quartel do Dulombi), uma zona arborizada (mato denso), tivemos o nosso primeiro contacto com o IN, estimado em 40/50 elementos.

Nos primeiros momentos de troca de tiros houve alguma dificuldade na resposta ao fogo do adversário, que utilizava armas automáticas e roquetes/morteiros, em especial na utilização dos nossos morteiros e dos dilagramas, devido às condições adversas do local. Só quando conseguimos sair daquela mata e depois de lançarmos várias granadas de morteiro 60 mm, que terão atingido fortemente o adversário é que este iniciou a retirada, a coberto da noite que, entretanto, tinha caído.

Salientou-se nesta emboscada a actuação do Furriel do 2ºGC, Espírito Santo, que fixou com a sua Secção o fogo inimigo, permitindo a saída do restante pessoal e a actuação do soldado At. Manga Camará do 3º GC, que tomando conta do morteirete de 60 mm, colocou-o à barriga (um feito difícil de acreditar para quem não viu) e disparou diversas granadas que mudaram o rumo dos acontecimentos. Também de salientar a actuação do 1º Cabo Amílcar Costa, também do 2ºGC, que, alertado por um camarada (o "Amarante"- que detectou um guerrilheiro), avistou o elemento IN armado que avançava sobre as nossas posições e foi o primeiro elemento da nossa companhia a efectuar fogo sobre os guerrilheiros, com a sua Met. Lig. HK21, só parando quando a mesma se encravou por problemas na fita alimentadora.

Do confronto resultou para o IN, pelos vastos vestígios de sangue encontrados, pelo material diverso abandonado e pela rádio do PAIGC (que confirmou mortos, o que era raro), sofreu baixas não controladas e a apreensão de 11 granadas de RPG7 /RPG2, entre outro material e equipamento. As nossas forças sofreram dois feridos ligeiros (ambos do 2º GC) e a sorte de outros elementos terem recebido tiros que lhes atravessaram os cantis, os carregadores, as camisas ou dólmens....enfim uma grande sorte!!!

Pelo reconhecimento feito posteriormente ao local, julgamos que o IN estava naquela zona a descansar, para mais tarde ir flagelar o quartel do Dulombi e ao aperceber-se da nossa chegada iniciou manobras de envolvimento para nos atacar.

Esta acção mereceu das diversas cadeias de comando as seguintes referências elogiosas:

-Do Cmdt BCAÇ 3872 msg nº70/03:"Felicito êxito obtido. Transmita pessoal dessa minha satisfação";
-Do Cmdt CAOP2 (Agrupamento de Batalhões daquela área) msg nº952/0: "Felicito tão auspicioso começo";
-Do Cmdt Chefe -REP OPER msg nº984/C: "Cmdt Chefe felicita essa reacção à emboscada do In durante OP "Alma Forte", reveladora de determinação".
O 2º GC, passou a utilizar como lema, posto no seu "crachat", o nome da operação que provocou o 1º contacto com o IN - "Alma Forte".

quinta-feira, 7 de março de 2013

A "MISSÃO DULOMBI" FEZ-SE NOVAMENTE À ESTRADA

A Missão Dulombi é uma organização sem fins lucrativos, de ajuda humanitária à Guiné-Bissau, que foca a sua atividade nas aldeias de Dulombi e Galomaro, locais onde a presença dos portugueses deixou marca na altura colonial. Neste momento, a organização está a reconstruir e a reabilitar um Centro de Saúde e duas escolas na Guiné-Bissau e vai ainda, iniciar a construção de uma creche em Dulombi.
A Câmara Municipal da Trofa está a apoiar a Missão Dulombi em mais uma iniciativa humanitária, através da doação de “algum material logístico”. Este material, bem como uma Bandeira do município da Trofa foi entregue hoje, pelas 10 horas, no Parque Nossa Senhora das Dores e contou com a presença de José Magalhães Moreira, vice-presidente da autarquia. “Com mais esta iniciativa, a Câmara Municipal da Trofa materializa o apoio e a solidariedade de toda a população Trofense, habituada a desenvolver uma cidadania ativa e participada”, avançou fonte da Câmara.
Recorde-se que em fevereiro de 2012, esta organização levou um contentor com “11 toneladas de ajuda” para as escolas de Dulombi e Galomaro, assim como para o Hospital de Galomaro.
Caso queira ficar a par da Missão e/ou ajudar nesta causa, pode fazâ-lo através do email ( missaodulombi@gmail.com), número de telemóvel (911 019 706) ou através das redes sociais (facebook.com/missaodulombi.pt).

FALECEU O NOSSO CAMARADA JOÃO CARAMBA

Caros Camaradas e Amigos

A notícia surgiu do camarada Juvenal Amado no Facebook (Grupo de Galomaro). Faleceu o João Caramba, um alentejano de Beja, um "matulão", como o apelidou outro camarada (Carlos Filipe), que pertenceu à CCS do nosso batalhão e que privou com a nossa companhia em Galomaro.

À família apresentamos as nossas sentidas condolências e que o camarada Caramba descanse em paz.

Luís Dias

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Guiné 63/74 - P11167: In memoriam (141): Nuno Felício (1974-2013), jornalista da Antena 1, filho do nosso camarada Rui Felício (ex-alf mil, CCAÇ 2405, Mansoa, Galomaro, Dulombi, 1968/70)

1. Morre aos 38 anos, Nuno Felício, natural de Coimbra, jornalista, filho do Rui Felício, membro da nossa Tabanca Grande desde a primeira hora:

O jornalista Nuno Felício, de 38 anos, natural de Coimbra, subeditor do turno da tarde da Antena 1, terá morrido no domingo, durante o sono, mas o seu corpo apenas foi descoberto hoje, soube o Expresso.

Nuno Felício, que no passado jogara basquete continuava a praticar desporto, desta feita corrida, e estava a preparara-se para ir fazer uma minimaratona. No sábado de manhã foi correr com uns amigos, voltou para casa e partir daí já ninguém mais o viu.

A falta de resposta aos telefonemas efetuados, ao longo de domingo, pela namorada e pela família levaram-nas a desconfiar de que algo se passava. Hoje, acabariam por descobrir o cadáver, dando a ideia de que Nuno Felício terá perdido a vida enquanto dormia.
Nuno Felício fazia parte da equipa da RDP há seis anos, a última vez que se fez ouvir aos microfones foi na síntese de notícias das 18h30 de sexta-feira.

Licenciado em Jornalismo pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, apesar de ser da rádio, o jornalista gostava de escrever e por isso alimentava alguns blogues.

Anabela Natário
Fontes Expresso e Blogue de Luís Graça & Camaradas da Guiné, com a devida vénia.


Ao nosso camarada Rui Felício, à família e amigos, apresentamos as nossas sentidas condolências.
Fonte: Expresso, 18/2/2013 (Reproduzido com a devida vénia....)

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

FOTOJORNALISTA DA MISSÃO DULOMBI GANHA PRÉMIO INTERNACIONAL

FOTO TIRADA NO ANTIGO AQUARTELAMENTO DO DULOMBI-GUINÉ BISSAU, GANHA PRÉMIO INTERNACIONAL

O fotojornalista, Daniel Rodrigues, venceu hoje o primeiro prémio da secção “Daily Life” da World Press Photo (WPP). A fotografia vencedora, que data de Março de 2012, retrata um grupo de crianças a jogar futebol num pelado na Guiné Bissau.
Daniel Rodrigues, de 25 anos,  fotojornalista,  participou na "MiSSÃO DULOMBI", em 2012, em apoio às antigas áreas onde estiveram os aquartelamentos de Galomaro e Dulombi.
Nesta viagem, o fotojornalista esteve na Guiné Bissau onde se deparou com um grupo de jovens que pela primeira vez tocava numa bola de futebol. A foto, que ganhou o primeiro prémio da secção “Daily Life”, foi tirada num local que no passado foi um antigo quartel colonial português.
No Dulombi estiveram instaladas as companhias de caçadores 2405, 2700, 3491 e já em 1974 a 1ª CCAÇ do BCAÇ4815 (esta por muito pouco tempo).

Parabéns ao premiado e à estupenda fotografia obtida no nosso antigo quartel.

Luís Dias 
 

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

QUEM ESTÁ VIVO SEMPRE APARECE

Caros Camaradas e Amigos

Estava hoje muito entretido a ver pela TV, na minha casa, o jogo para a Taça de Portugal (meias-finais), entre o Paços de Ferreira - e o meu Benfica, quando recebi uma chamada para o meu telemóvel do camarada Espírito Santo (Ex-Fur do 2ª GC) a dar-me uma feliz notícia. Então não é que o Mário Castanheira (Ex-Fur do 3º GC) lhe tinha telefonado e que está de boa saúde. É que muitos estarão lembrados que num dos encontros da nossa companhia, há já alguns anos, alguém referiu que o nosso camarada, que a maioria já não vê desde o regresso da Guiné, tinha falecido.
Caro Castanheira sejas bem aparecido e esperamos rever-te no próximo encontro da CCAÇ3491 a realizar este ano.
O nosso amigo vive em Tábua, distrito de Coimbra e quem o quiser contactar fica aqui o seu telefone: 235 711 416 e o telemóvel: 964040416.
Um grande abraço para ele e para o Espírito Santo que tratou de nos dar esta boa notícia.

Luís Dias

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

MENSAGEM DO PROFESSOR-DOUTOR, PEREIRA COELHO

Mensagem que me foi enviada pelo nosso camarada, Professor-doutor, Pereira Coelho, por ocasião da passagem dos 50 anos do início da guerra na Guiné e que me autorizou a disponibilizar.

"Obrigado Luís
Para o bem e para o mal as nossas vidas ficarão indissociavelmente ligadas a estes factos, atrevo-me a dizer que fizemos História. Temos que saber assumir com dignidade essa História, que daqui por alguns anos já não terá representantes vivos e em condições de a descrever. Tu muito tens contribuído para um relato independente e fidedigno.
Um abraço amigo,
P. Coelho
P.S. - podes usar"

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

A GUERRA NA GUINÉ TEVE INÍCIO HÁ 50 ANOS

A 23 de Janeiro de 1963, o PAIGC iniciou a luta armada na Guiné, com um ataque ao quartel de Tite. Em 11 anos de guerra 3 046 portugueses perderam vida neste conflito (a).
Foto do BCAÇ 3872, embarcado em LDG, no regresso a Bissau, vindos da zona Leste, em 10 de Março de 1974
A Revolução do 25 de Abril de 1974, cria a oportunidade para o fim do conflito. Em 17 de Setembro do mesmo ano, Portugal reconhece a independência do país e em 15 de Outubro as últimas tropas portugueses saem da Guiné, que viria a tornar-se a Guiné-Bissau.



LD

(a) Dados da Revista Domingo/CM, de 20/1/2013.